sexta-feira, março 23, 2007

Gato Preto


Máscaras
Quadros traiçoeiros
Vidas perdidas
Amaldiçoadas

Um mau presságio
Negro como a noite
Persegue-me
Neste mundo de ilusão

Nada me resta
No meio desta Natureza morta
Finda, acabada
A não ser a sua companhia

Único sinal de vida
Na minha vida sombria e sozinha
O prenúncio da minha Morte
A entrada neste quadro

Sem mais nada a sentir
A viver
És tu meu gato preto
Que me vais fazer morrer






"Antes de dizeres o que pensas.. Pensa!"


Bloody kisses***Ari

1 comentário:

Joana disse...

Gostei muito do poema!
Diferente, mas muito bom. a imagem é escusado dizer que é lindissima!

=)
****