sábado, março 03, 2007

Horas


São tantas as horas
Que passo sentada
Pensando no que foi
Esta história agora acabada

É grande a dor no coração
Vivo agora esperando
Que chegue a solidão
A sombra que me vá matando

Deixo-me levar pelo tempo
Embalada como uma criança
Recordo ainda o vento
Que me trazia esperança

Enorme é o tormento
Que rodeia meu viver
Mas comparado com o sofrimento
Nada parece em meu ser

Vou deixar-me ficar assim
Levada pelas ondas do mar
Ouvindo os trovões
Que me levam para outro lugar



"Não tenhas medo de dar grandes saltos, pois não se atravessa um abismo com dois pulinhos"

Bloody kisses***Ari

2 comentários:

Dea disse...

É uma coisa engraçada, o tempo... é uma coisa que gostaria de ter... enfim...
Belo poema!! ^^ E essa imagem fez-me lembrar o Coelho Branco e a Alice... xDDDDDDD~
Gmmmmmmmmmmmmmmmmmdt**

Joana disse...

Triste!

Mas, muito belo! Cheio de emoçao!

Bjs****