segunda-feira, março 26, 2007

Própria Morte


Lembro-me de abrir os olhos e ver-me. Pálida e serena como sempre, mas algo estava diferente. Porquê aquela rosa na minha mão?
Porquê das pessoas à minha volta a chorar? Olhei a minha mãe, chorando inconsolável. Aproximei-me dela e toquei-lhe o ombro, ela não se mexeu...
Parecia que eu não estava ali, sentei-me ao seu lado, queria confortá-la. Porque chorava? Olhei novamente as pessoas, tentando sorrir-lhes mas nem isso conseguia.
Então vi-te.. De olhar vazio, encostado a um canto.. Não choravas mas eu sentia teu coração sem vida, sem vontade de viver. Deslizei até ti, ergui-me e beijei-te os lábios suavemente...
Estavamos tão próximos, queria abraçar-te, dizer-te o quanto te amava mas não me ouvias, não me sentias... Olhei novamente para mim.. Pálida, serena, tão eu e tão sem vida...

Chorei por mim mesma... Pela minha própria morte...

Porque é a vida tão cruel? Porque rouba as almas das pessoas que têm tanto para viver, amar, sofrer? Porque?





"As coisas da vida acontecem porque têm que acontecer ou porque não as conseguimos evitar?"

Bloody kisses***Ari

2 comentários:

Joana disse...

Gostei deste texto.
Embora triste... mas como gosto de texto com o tema, Morte. Porque fico sempre a pensar neles.
Gostei da forma como o escrveste.

Bom trabalho.
A imagem é muito bonita mesmo.Boa escolha.

=)********

Samodiva Anheel Brujah disse...

eu tb gostei mt deste texto, é um tema k me chama muito a atenção e que devo dizer que adoro porque tem sempre muito para pensar sobre este.

Gostei da forma como o exploraste ^^

gmmmmmmmmmmmmmmdt***