quarta-feira, maio 02, 2007

Vi


Ontem sentei-me no meu jardim, olhei o nada e vi-me a mim mesma... Vi as lágrimas que o meu coração derrama, despedaçado pela crueldade da vida... Vi a dor que mora na minha alma, perdida neste mar de almas... Vi o meu corpo que doi por causa desta dor que o destroi...
Ontem sentei-me, calmamente olhei e vi-me... Vi que dentro de mim ainda existe uma força que quer viver... Vi uma paz que julgava não ter... Vi esperança no fundinho do meu ser...
Ontem sentei-me, respirei fundo, deixei o ar puro entrar em mim e vi-me... Vi o que fui, o que sou e o que serei...
Ontem sentei-me no meu jardim, olhei o nada e nada vi...


Bloody kisses***Ari

2 comentários:

Samodiva Anheel Brujah disse...

eu gostei sinceramente deste texto, é bom ver que começa a haver esperança em ti =D

ily************

Lunar disse...

Tambem gostei de ver a esperança aí no teu poema ^^
Ouça lá, nao acha essa foto um pouco pornoográfica?
lol
Tou a brincar, esta muito bonita!!=)*******