quarta-feira, abril 18, 2007

Olhando o nada


Olho o longíquo
O profundo vazio da vida
Busco algo que não encontro

Procuro por ti
Mas não te vejo
Nem um sinal
Nem a tua sombra
E a noite vai chegando

Olho, mas já nada vejo
Pois as lágrimas não mo deixam fazer
É imensa a dor que me sufoca
Esta mágoa que provoca
Uma enorme solidão

Sinto-me sozinha
Abandonada
Totalmente desesperada
Aqui no meu Reino trancada
Alma amaldiçoada

E continuo a olhar
E tu tardas em chegar
Tento não chorar
Mas sei...
Que o meu coração
está a sangrar...




Bloody kisses***Ari

1 comentário:

Joana disse...

Gostei do poema! Muito sentido!
Gostei imenso do teu olhar na foto=)****